Escolha as tags que melhor definem você:

Artigo

Tendências no ambiente de trabalho para o ano 2030 #FuturoDelTrabajoM4

Por Nae — 29 de outubro de 2019

Para ilustrar a evolução do trabalho, imaginamos a história de Maria. Quer acompanhá-la na descoberta de como será o trabalho em 2030?

Maria não pode parar de pensar em como é seu dia a dia, comparado com dez anos atrás. Naquele momento sua passagem pelo sistema de ensino a preparou para ingressar no mercado de trabalho da melhor forma possível, mas o contexto com que se depara em 2030 é totalmente diferente.

Alguns anos atrás suas proposta de valor residia em seus conhecimentos e no pensamento racional. Ao entrar no mundo do trabalho, deparou-se com uma realidade que lhe produzia certa incerteza quanto à forma de trabalhar para a qual a tinham preparado: uma liderança muito hierárquica na qual se valorizava o estar presente e a categoria profissional assim como a execução de tarefas predeterminadas que deixavam de lado o pensamento criativo e a inovação.

Em 2030, Maria é autodidata e se reinventa através de qualquer meio e em qualquer momento (AAA – Anytime, Anywhere, Anydevice) e só trabalha em projetos alinhados com seu propósito (Ikigai*). O ambiente de trabalho evoluiu muito e normalizaram-se dinâmicas que antes não teria sequer imaginado: favoreceu-se a flexibilidade para trabalhar de qualquer lugar do mundo, com wearables como óculos de realidade virtual ou hologramas para simular reuniões presenciais; e as barreiras geracionais e entre empresas se dissolveram, potencializando assim a diversidade e a inovação.

Além disso, normalizou-se a convivência entre robôs e humanos. É possível ter um algoritmo como responsável, um cobot* que monitore suas tarefas ou um assistente que ajude com a gestão do seu tempo e abra espaços de coordenação entre forças como se fosse uma rede neural. De fato, Maria trabalha menos horas porque os trabalhos foram automatizados, portanto pode dedicar esse tempo a outro tipo de atividades.

Em termos de sustentabilidade, Maria chega ao trabalho com transporte autônomo gerenciado pela empresa e não em carro particular, contribuindo desta maneira com seu grãozinho de areia para a cota ecológica que empresas e trabalhadores têm que cobrir (também possível em forma de horas de voluntariado).

Em definitiva, a diferença entre o físico e o online deixou de existir, podendo acessar e oferecer talento em nível mundial.

 

 

Este artigo faz parte do relatório Talento 4.0 #ElFuturoDelTrabajo, elaborado pela Mornings4 e Nae.

*Consulte o significado do termo no glossário técnico

Serviços relacionados
BusinessTalento
Elena Antona

Director da Unidade de Negócio

Contato
Gorka Riocerezo

Líder de serviço de Talento

Contato
Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter mensal.